06/set/2017

Fadex articula apoio às revistas científicas da UFPI

O superintendente da Fundação Cultural e de Fomento à Pesquisa, Ensino, Extensão e Inovação (Fadex), Prof. Dr. Lívio César Nunes, participou, nesta quarta-feira (06), no auditório do Departamento de Matemática, de reunião com os editores das revistas científicas da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Na oportunidade, o diretor da da Editora da UFPI (EDUFPI), Prof. Dr. Ricardo Alágio, apresentou aos participantes do encontro, o Identificador de Objeto Digital (DOI), obtido recentemente pela universidade.

Durante o encontro, o superintendente da Fadex manifestou a disponibilidade em a fundação ser parceira no processo de gestão administrativo/financeira das revistas científicas produzidas pela academia. “Percebo que os editores ainda encontram algumas dificuldades no processo de edição destes periódicos, como por exemplo a editoração e a produção do layout, além de terem a preocupação em administrar a parte financeira. Por isso, convidei os editores a nos reunirmos na Fadex para articular como a instituição poderá apoiar a produção das revistas científicas da UFPI”, explicou Lívio Nunes, que participou do encontro a convite do pró-reitor de Pesquisa, Prof. Dr. João Xavier.

O pró-reitor destacou que a utilização do identificador digital para as publicações científicas deverá dar mais visibilidade às pesquisas publicadas pelas revistas científicas da UFPI e permitir maior intercâmbio com pesquisadores de outras instituições, além de fortalecer os grupos de pesquisa. “A maioria dos nossos pesquisadores já publica em outras revistas fora da UFPI; com o DOI, muitos outros professores externos publicarão nas nossas revistas e isso fará com que elas tenham mais impacto e melhorem o seu conceito no sistema de avaliação Qualis da CAPES”, frisou o Prof. Dr. João Xavier.

Identificador de Objeto Digital (DOI)

O DOI é um sistema identificador único de documento digital, que serve para qualquer tipo de publicação, como artigos, teses, livros, fotos e demais mídias digitais, associando a cada objeto seus dados básicos e sua origem. O identificador atribui um número único e exclusivo a todo e qualquer material publicado. A ferramenta foi idealizada pela DOI Foundation, em 1998, no Reino Unido.

O Prof. Dr. Ricardo Alágio apresentou o prefixo/raiz que deverá ser usado por todas as revistas da UFPI que aderirem ao sistema e as informações de acesso. O diretor da EDUFPI ressaltou que o DOI é mais um item no incremento da qualificação da revista dentro da classificação geral da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que analisa a qualidade dessas revistas.

A editora da Revista de Enfermagem da UFPI (REUFPI), Profa. Dra. Claudete Monteiro, destacou que a chegada do DOI vai contribuir para maior visibilidade e disseminação do conhecimento da área da saúde e áreas afins. “O DOI traz uma maior visibilidade às revistas e é um sistema que é acessado internacionalmente. Então, nossos artigos serão lidos e citados em outros países”, enfatizou a professora. A publicação científica do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem tem Qualis B4 e subiu no ranking entre as revistas de enfermagem mais citadas na região Ibero Americana no ano de 2016.

Fomento às revistas científicas

Durante o encontro de apresentação do DOI, o grupo articulou a próxima reunião para discutir o apoio da Fadex às publicações da UFPI. Será na próxima quarta-feira (13), na sede da fundação de apoio, onde será apresentada a proposta de parceria. “O apoio da Fadex pode ajudar muito os editores de revista. A fundação se responsabiliza pela gestão dos recursos, prestação de contas, elaboração dos templates, edição final, etc. Enquanto isso, os editores terão mais tempo para ficar na parte acadêmica das publicações”, ressaltou o superintendente.
Outro ponto importante citado pelo superintendente foi uma conversa com o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí (Fapepi), Francisco Guedes, o qual mostrou ter interesse em apoiar financeiramente as revistas científicas do estado do Piauí. “Devemos buscar estruturar o máximo possível as nossas revistas científicas para estarmos aptos a receber esses recursos”, informou Lívio César.

*Com informações da UFPI

Share on Facebook0