12/ago/2016

Superintendente da Fadex participa de evento que debate atenção à hanseníase

DSC_0882

O superintendente da Fundação Cultural e de Fomento à Pesquisa, Ensino e Extensão (Fadex), Prof. Dr. Lívio César Cunha Nunes, participou, do seminário de apresentação de resultados do Macro Projeto Integrahans – Piauí, realizado no campus Senador Helvídio Nunes de Barros, em Picos, nesta terça-feira (09). O projeto, cuja gestão financeira está a cargo da Fadex, tem como objetivo construir agendas de organização da rede de saúde estadual para atenção à hanseníase.

A pesquisa visa avaliar a situação de endemicidade, com vistas a fundamentar ações locais de controle da doença e faz parte de uma iniciativa do programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí (UFPI), cujas ações são financiadas pelas ONGs internacionais, Netherland Hanseniases Release (NHR Brasil) e Cruz de Malta, e o apoio de diversos parceiros em âmbito estadual (Secretaria Estadual da Saúde – Sesapi), Municipal (Secretarias Municipais de Saúde de Floriano e de Picos) e outros (Universidade Federal do Ceará, Faculdade do Ensino Superior de Floriano e Rotary Club).

Estiveram presentes na solenidade o Prof. Dr. Helder Cunha, Pró-Reitor de Ensino de Pós-Graduação (representando o reitor da UFPI); a professora e doutora em Enfermagem em Saúde Coletiva, Telma Maria Evangelista de Araújo; o diretor da Vigilância e Saúde da Sesapi, Herlon Guimarães; o coordenador do Programa Municipal de Hanseníase de Picos, José do Valentim da Silva; a coordenadora do programa local, Profa. Me. Tuliane Macedo e o Prof. Dr. Alberto Novaes Ramos, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

O professor Lívio César ressaltou que o projeto tem permitido trabalhar a pesquisa junto aos campi do interior. “Vejo que nesse projeto reúne tudo que há de mais importante para uma pesquisa: temos parceria entre universidades, parceria internacional e com gestores estaduais e municipais. Além disso, temos um trabalho envolvendo alunos nos níveis de graduação e pós-graduação e, principalmente, envolvendo a sociedade”, enfatizou o superintendente da Fadex.

O superintendente da Fadex acrescentou que a fundação tem apoiado o Integrahans, executando a gestão financeira e orçamentária. “A Fadex faz a gestão deste e de vários outros projetos. Acho importante o coordenador poder contar com uma fundação que o ampare realizando todas as demandas de compras, contratações, importações, locação de espaço, prestações de contas, etc; o que o permite focar somente no projeto, seja ele de pesquisa, ensino, extensão ou inovação”, observou Lívio César.

A coordenadora do projeto, a professora Telma Evangelista discorreu sobre a importância e os resultados obtidos por meio do projeto. “Esse é um projeto de parcerias. Nós sabemos que o Brasil é um país endêmico em relação à Hanseníase e o Piauí é um dos estados que apresenta municípios com grande risco de disseminação da doença, como Floriano e Picos. E nós, enquanto profissionais de saúde pública, precisamos fazer algo para reverter esse quadro. Não podemos deixar que continue da forma como está. E para isso é preciso agirmos no controle da doença, assim como estamos fazendo através do projeto”, afirmou.

O Prof. Dr. Alberto Novaes Ramos, da Universidade Federal do Ceará (UFC), explicou que a hanseníase tem sido uma doença negligenciada e um problema social que querer vigilância epidemiológica, englobando a captação de casos e a coleta de dados.  “Nós estamos falando aqui de uma doença que está vinculada a pessoas negligenciadas e essas pessoas são as que mais precisam da questão dos direitos sociais. Então este projeto se apresenta como um elemento simbólico, exatamente porque nós temos um compromisso com essas pessoas”, declarou o Prof. Dr. Alberto Novaes Ramos.

O pró-reitor de Ensino de Pós-Graduação, Prof. Dr. Helder Cunha, esteve presente na solenidade representando o reitor da UFPI e destacou a importância de ter a universidade envolvida em projetos desta natureza, colocando a administração superior da universidade à disposição do projeto e determinada a apoiar iniciativas desta natureza. “Esse é um projeto que trará bons frutos para a Saúde do nosso estado e são projetos assim que engrandecem as nossas instituições, em especial, as nossas instituições de ensino. Além disso, nós sabemos que o nosso sistema de pós-graduação precisa estar envolvido em projetos de cunho social como este”, frisou o pró-reitor.

Share on Facebook0